terça-feira, 14 de outubro de 2014

FALTA DE PAUTA OU É PRA AGRADAR ALGUÉM

A captura, acima, é o destaque do site de notícias paraiba.com.br desta terça-feira (14). Aparentemente não há erro algum. O problema é que as dois 'sub-destaques', que nossos colegas postaram, são na verdade, uma de julho e outra de 7 dias atrás. Ou não há pauta pra se fazer, o que é bem difícil na Paraíba que vivemos, ou as duas notícias foram recolocadas para agradar alguém, algum candidato. Afinal não dá pra separar mais o jornalismo da política. Principalmente num Estado cuja a política é praticada em "muro baixo", como diz o sábio veterano João Costa. Essa não é a primeira vez que flagramos esse site repetindo notícias. Subestimam a capacidade do leitor. Apesar de dizermos que "aparentemente não há erro algum", não poderemos deixar passar em branco a maiúscula após os dois pontos na manchete principal. Esse é um erro recorrente; que se reproduz como um vírus. Caso São Francelino entre ao vivo na CBN, semana que vem, vamos interpelá-lo a respeito do uso dos dois pontos, citações de entrevistados e a famigerada ignorância que assola nossas redações. E dizem que o estudante do Enem deve ficar bem informado lendo jornais, sites e assistindo telejornais. O que será dessa geração que já se informa de forma incorreta. Pais e professores fiquem de olho. Nós estamos!!!

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

PORTUGUÊS CONTINUA "EM ESTADO GRAVE"

Descuido ou despreparo? Essa agressão gramatical ficou no vídeo da TV Clube, semana passada, durante toda reportagem. Conclusão óbvia: quem escreveu não revisou, quem mandou escrever também não revisou, e ninguém que participava do Aqui na Clube se deu ao trabalho de ler durante a reportagem. Na verdade quem continua em "estado grave" é a nossa sofrida Língua Portuguesa que vive sendo desprezada por quem tem obrigação de não errar. Estamos de olho!!!

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

DURANTE O BREAK

Sem comentários. Nem mesmo do gaiato de plantão. São Francelino nos salve, ou seja, salve quem digitou no telão acima. Estamos de olho!!!

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

ENFRENTANDO DEUS

O homem que vamos relatar abaixo, dia desses promoveu desavença no Céu. Enfrentou, questionou em tom agressivo, o Criador. Por que o Senhor não me fez nascer após os anos 60? Hoje, em 2014, teria muito mais condições de trabalhar com meus ideais, disse ele. Abaixo, um pouco do seu currículo.
- Doutor pela Universidade de Heidelberg, elaborando a sua tese de doutoramento sobre o romantismo do século XIX.
- Trabalhou como jornalista, empregado bancário e pregoeiro.
- Escreveu romances e peças de teatro.
- Ascendeu a um grande cargo governamental e exercia o controle pleno sobre os meios de comunicação e nas artes.
- Utilizava as modernas técnicas de propaganda para preparar, ideologicamente, o seu povo.
- Desde o início do seu mandato, organizou ataques aos desafetos, começando com o boicote a homens de negócios, médicos e advogados.
- Aumentou o seu poder e influência através de mudanças com outros líderes.
- Em vez de se tornar padre, como queriam seus pais, ele estudou literatura e filosofia. Quando se ofereceu como voluntário para o serviço militar, foi rejeitado por ter uma perna 10 centímetros mais curta, em virtude de, quando criança, ter sofrido intervenção cirúrgica no fêmur, comprometido por um ataque de Osteomielite.
- Esteve desempregado muito tempo, apesar do seu diploma.
- Mostrava-se 'socialista' desprezando o capitalismo.
Essa é parte da história do homem que “peitou” Deus após ser informado do atual quadro político no Brasil. Dizem, os mais informados, que se indignou mais ainda por não ter nascido na Paraíba com condições de disputar, ou auxiliar, na campanha deste ano. Quem “peitou” Deus? Joseph Goebbles; homem inteligente, letrado com grande capacidade de disseminar ideais causando fascínio em seus seguidores e braço direito do ditador Adolf Hitler. Goebbles, conhecido como 'Mago' da propaganda enganosa, é atribuída a ele a frase: uma mentira repetida mil vezes vira verdade. Imaginemos Goebbles com internet, smartphone, tv a cabo, twiter, facebook, instagram, zapzap à sua disposição. O que seria de nós? Neste momento deve estar morto (2 vezes) de inveja dos colegas políticos bem vivos na Terra.

ATENÇÃO: Qualquer semelhança com algum político brasileiro, é mera coincidência.
Estamos de olho!!!

terça-feira, 2 de setembro de 2014

GAZEOU A AULA DE JORNALISMO

A intenção do programa Todo Mundo na TV, da TV Arapuan, seria de unir entretenimento com pitadas de jornalismo. De certa forma acontece, mas o que capturamos no programa desta segunda-feira (01), foi algo que, naturalmente, se distancia de um dos princípios jornalísticos: o apresentador/repórter não pode chamar mais atenção que o próprio assunto abordado. Nosso colega/vizinho Francisco José (Globo-NE) levará para o túmulo esse aprendizado. Resumimos uma das aulas recebidas no Curso de Jornalismo da UFPB, que, talvez, a apresentadora tenha gazeado. Pois bem... A foto, acima, revela que, para a produção e para a apresentadora do programa, a notícia não é exatamente o destaque. Pelo tamanho do bermudinha... Falta de noção jornalística, ou de “semancol” como se diz no popular. O gaiato de plantão, instigado a falar, recusou-se. Disse que tem medo de constatar cada vez mais que o fazer jornalismo, fazer televisão, em nosso estado, além de se mostrar imbricado com o poder governamental, não tem a menor preocupação em melhorar; seja em que aspecto for. Estamos de olho!!!

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

DEBATE NA ARAPUAN: SEMPRE EM DIA COM O ATRASO

Coitado do telespectador que esperou que a TV Arapuan cumprisse a promessa do debate entre os candidatos a governador da Paraíba, marcado para a noite desta terça-feira (19). O debate que, segundo a chamada e todas as falas dos apresentadores da tv e da rádio garantiam o início para as 22h, aconteceu exatamente como não anunciaram. Precisamente às 22h24 minutos, e depois de muito "encher de linguiça" com pegadinhas sem graça, e flashes desnecessários, Nilvan Ferreira deu início ao debate. Ufa. Desrespeito com o telespectador. Desrespeito com os patrocinadores. Será que alguém conseguiu ficar até 1h da manhã esperando o final do programa? Outro detalhe que nos chamou atenção foi a ausência do candidato Antônio Radical. Mesmo não sendo obrigatória a participação dele, no debate da Arapuan, a emissora perdeu uma boa oportunidade de se mostrar democrática dando espaço para todos os candidatos sem restrições. Há quem diga que a ausência de Radical foi providencial. Pra quem? O gaiato de plantão grita lá da copa: vai ver que eles estavam esperando a novela da Globo terminar, só que a novela tá mais tarde por causa do horário eleitoral. E como é costume, no sistema Gregoriano, 'empurrar com a barriga' as soluções dos problemas, hoje pela manhã o programa de Nilvan não foi ao ar. Repetiram o debate. Mas por que? Porque toda vez que se faz algo diferente na TV Arapuan, problemas acontecem. A prova foi o repeteco do debate. E para provar o que estamos dizendo, o programa fatídico Manhã da Gente também foi reprisado. E reprisaram o de ontem. Pior, o programa foi cortado no meio do caminho. Essa é a tv que quer melhorar na audiência? O debate, além da chatice dos candidatos, salvou-se pela condução tranquila de Nilvan. E pra provar que o sem graça Manhã da Gente foi reprisado, fizemos a devida captura do dia de hoje com a identificação "gravado". O diretor pitizeiro saiu, mas deixou um legado. Que legado. Estamos de olho!!!

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

JPB1 BRILHA. JPB2 APAGA

Muitas vezes utilizamos este espaço para criticar. Criticar, principalmente erros imperdoáveis que alguns colegas nossos cometem contra a nossa sofrida Gramática. Pois bem. Cá estamos nós para elogiar a produção do telejornal JPB1 da TV Cabo Branco que, nesta terça (05), conseguiu nos impressionar, e aos telespectadores comuns é claro, por causa do cuidado que teve para apresentar um programa diferente no dia dos 429 anos da capital paraibana. Digno de elogios. Destacamos, em especial, a reportagem conduzida por Larissa Pereira, na qual a produção soube construir um roteiro sem as mesmices que, habitualmente, se acomodam nas cabeças sem criatividade espalhadas nas redações por aí. Por isso fizemos questão de capturar, acima, os nomes dos responsáveis pela reportagem: produtora, cinegrafistas e editores. Chegada a noite... lá estávamos nós, dando audiência pro fraco JPB2. Bem que a ideia de levar a apresentadora para o alto da torre ficou... ‘legal’. Mas ficou por aí. Alguém da emissora, uma mente brilhante, resolveu jogar Edilane Jurássica Araújo pra uma reportagem sobre os índios nativos da Paraíba. Pior, ela aceitou. Como noutros casos, passou vexame. Edilane não encaixa como repórter. Não tem experiência para tal. É uma ótima leitora de textos no cômodo ar condicionado dos estúdios. E só. Outro detalhe: a reportagem com os índios ficaria bem colocada no dia 19 de abril. E com outro condutor. Um jornalista de verdade. Mas a calamidade do JPB2 só se concretizou mesmo no final. A ‘fake’ de repórter Edilane, talvez empolgada demais, não sabemos com o quê, sapecou um “parabéns pelos 425 anos” de fundação de João Pessoa logo antes do “boa noite”. Fez o favor de tirar 4 dos 429 que a cidade completou nesta terça. Foi esse o ‘grand finale’ do sem graça JPB2. O gaiato de plantão grita lá da copa: será que ela quis imitar Ana Maria Braga que se despediu do seu programa com um sonoro "Adriano Suassuna" um dia após a morte do escritor? Enquanto o JPB1 brilhou na sua produção, o JPB2 escorregou e... deu mote pra nossa postagem. Estamos de olho!!!

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

MOBRAL NELES

Antes dos nossos comentários, nada agradáveis para com os "jornalistas" do paraiba.com.br, vamos mostrar de forma bem didática o que, aparentemente, não foi detectado.
1. Polícia - Sujeito feminino singular - marcado com círculo vermelho
2. apreende - Verbo da 2ª conjugação no singular - sublinhado em azul
3. frustam - Verbo da 1ª conjugação no plural - sub-li-nha-do em azul
4. prendem - Verbo da 2ª conjugação no plural - sub-li-nha-do em azul

Nesta captura marcamos, com tristeza, uma das maiores agressões contra uma das regras que regem a nossa Gramática: sujeito e verbo fora de sintonia. "Polícia frustram" pode? "Polícia prendem" pode? Se a construção dessa oração estiver correta, só nos resta tirar nosso humilde Blog Bucho Furado do ar e procurarmos, com urgência, nosso santo salvador Francelino Soares, que nos 'ilumina' todas as segundas-feiras na CBN João Pessoa com o quadro 'o que se diz por aí'. Parabéns para a produção da Rádio CBN que consegue mostrar algo de interesse da população e instrutivo, além das picuinhas políticas que movem a máquina jornalística na província paraibana. Em tempo: alguém sabe qual o motivo de termos separado as sílabas em sublinhado? Mobral neles. Estamos de olho!!!

AONDE O ERRO VAI... JORNALISTA VAI ATRÁS

Pelas capturas, acima, que fizemos em alguns sites paraibanos dá pra notar que tem muito jornalista desatento por aí. Nos títulos do clickpb.com.br e do paraiba.com.br (alguém copiou alguém), o medo de o leitor não entender a notícia ficou evidente. "Alinhamento da lua, terra e sol alinhados"???? E poderia ser de outra maneira? Alguém na terra, na lua ou no sol, tem conhecimento de algo que após o alinhamento não esteja alinhado? Fica difícil encontrar uma explicação. Outro detalhe engraçado, é que a referida notícia retirada do site da Prefeitura de João Pessoa mostra a data da publicação para amanhã, sábado, dia 02 de agosto. Seria a antecipação do futuro? Vai saber. Coisas de falta de revisão e acima de tudo, desleixo para com a nossa sofrida Língua Portuguesa. Estamos de olho!!!

sexta-feira, 25 de julho de 2014

TSNUNAMI PODE ATINGIR ARAPUAN

Em televisão, principalmente na nossa província Paraíba, o que se vê constantemente é gente exercendo alguma função sem nunca, na vida, ter se preparado para tal. É um tal de jornalista pra cá, jornalista pra lá... e, por aí vai. Tem gente se achando Jornalista sem nunca ter passado pelo referido Curso ou, mesmo com o diploma na mão, nunca ter feito uma produção jornalística, ou ter enfrentado as ruas numa reportagem. Tem até chefe de jornalismo que nunca postou ou veiculou uma reportagem própria. Pois bem. Em se falando de botar uma tv pra funcionar... Ai, ai, ai. Chega a doer. Tem gerente metido que só consegue “motivar sua equipe” na base da ameaça, constituindo provas para um futuro processo de Assédio Moral. Outros “motivam sua equipe” com gritos e até palavrões dignos de criaturas descontroladas e sem berço, tamanha demonstração de falta de educação e falta de vocabulário. O fato é que um certo ‘Nelson Rubens’ paraibano, fofoqueiro de plantão, nos contou que o Sistema Gregoriano pode ser sacudido a qualquer momento por um tsunami. Nos referimos a possíveis entendimentos entre o dono do pedaço, João “Mearrude” Gregório, e o mais recente desempregado diretor de tv sr. Cacá Martins. O mundo midiático todo sabe que Cacá saiu da confortável posição de superintendente de uma emissora de tv, em Natal, para assumir o desafio de ser Secretário de Comunicação da nossa prefeitura local, ano passado. Passados alguns meses... não aguentou a pressão e correu da máquina (moedora) administrativa municipal. Caso se confirme a chegada do sr. Cacá para a direção da TV Arapuan, o mercado só terá motivos para comemorar. Esperamos que os telespectadores também. Parte da rádio peão já demonstra felicidade com a notícia. Enquanto isso... Tem colegas de trabalho preocupandos(as) com seus destinos. Será? Atenção improvisadores de plantão... segurem suas CTPS. Estamos de olho!!!

quinta-feira, 10 de julho de 2014

BACKSTAGE TENTA RESSUSCITAR

Pois não é que o "líder de audiência" somente na residência do próprio apresentador, foi se oferecer à TV Tambaú; "vice-líder absoluto" somente na mente do marketing de lá. O fato é que nosso colega Diovane Filho e Sâmya Maia estiveram hoje batendo na porta da afiliada do SBT e foram cinceroneados pelo editor do Caso de Polícia, Felipe Silveira, com o intuito de apresentarem o falido projeto do Backstage que de tão bom já passou pela Arapuan (graças ao diretor pitizeiro que não apita mais no sistema Gregoriano), depois foi tapar buraco na RCTV com quadros reaproveitados no Correio Espetacular e, mais uma vez foi aportar na Arapuan, este ano, com vida mais curta ainda. Pela nossa captura, abaixo, dá pra calcular o tempo de vida que teve, na 'UTI' da Arapuan. Entrou no ar em fevereiro e sumiu em menos de 4 meses apenas. O gaiato de plantão grita lá da copa: alguém ligue pra Dio e Sâmya e avisa que só eles assistem ao Back. Ninguém mais. É tão bom que nem patrocinador conseguiram pra se sustentar o "bichim" na Arapuan. É batido, repetitivo, e sem novidade nenhuma; estilo Babão Bueno. Mas, levando-se em conta as últimas estratégias da Tambaú em querer forçar a barra de "vice-líder absoluto", tudo é possível por lá. Talvez pela beleza da apresentadora... Estamos de olho!!!

quarta-feira, 9 de julho de 2014

ESTRELISMO EM CÉU APAGADO

Definição de 'ESTRELA': astro que tem luz própria. Pois bem. Infelizmente, alguns colegas de profissão, mais notadamente os de televisão, acreditam que, por um toque divino, possuem luz própria como se fossem verdadeiros astros. Alguns jornalistas, radialistas e "araques" da profissão exercem suas funções como se somente por força da irrevogável Lei da Gravidade pisassem no chão. Acham que suas almas alcançarão o plano divino assim que deixarem esse planeta tão atrasado. Pelo menos para eles. Estão em todos os meios. Passam pelos colegas com sorrisos e elogios disfarçando sentimentos de inveja, ira, desprezo. Apresentam programas e/ou aparecem em reportagens certos que suas palavras ecoarão como leis mosaicas. Esta semana, uma das supostas "estrelas paraibanas" perdeu seu lugarzinho diante dos holofotes. Foi no sistema Gregoriano. O apresentador do Cidade em Ação se despediu do policialesco como se isso representasse uma grande perda para o sistema. Vã ilusão. Mas é assim que muitos colegas de profissão se comportam. Alguns bem aquinhoados, reclamam de tudo e até dos vencimentos, mesmo sabendo que recebem 3, 4, 5, 10 vezes mais que o companheiro ao lado no estúdio, ou na redação. São assim. Alguns bancam de superstar no estado que os adotou, mesmo sabendo que em sua terra natal não passam de reles mortais iguais a tantos outros, ou menores ainda. Outros acham que a luz que se propaga dos refletores incorporam seus 'pobres' seres. Pobres de espírito? Talvez nem seja a denominação correta. Esquecem, ou não conhecem a história da comunicação paraibana. São apenas peças num tabuleiro que podem ser substituídas num piscar de olhos do diretor ou proprietário da empresa onde prestam serviço. Isso mesmo. Prestam serviço apenas. Substituídos, serão apenas uma vaga lembrança dos mais próximos. E o gaiato de plantão grita lá da copa: qual o nome desse rapaz do sistema Gregoriano, da Arapuan? Lembrei. Nem o nome real ele usa. Usa o nome do seu genitor com um 'Filho' depois. Esse nem é o nome real dele. Ou seja... usa um nome que não pertence a ele querendo adquirir uma luz que ainda não tem. Como poderia dar certo? Só mesmo na Arapuan poderia ter alguém acreditando nesse apagão estrelar. Estamos de olho!!!

terça-feira, 1 de julho de 2014

A COPA VEIO E... CADÊ JOÃO PESSOA?

Precisa que a gente faça algum comentário? Nem capturamos os sites pra não perder tempo. Somente para reflexão e lembrança de esperanças que morreram e caíram no esquecimento. Estamos de olho!!!

quinta-feira, 26 de junho de 2014

FALTA REVISTA NA UFPB

A vida e até mesmo o trabalho em equipe mostram que o exemplo deve vir de cima. Pois bem. Esse exemplo que capturamos na UFPB em Revista, demonstra 2 erros que não poderiam ser cometidos num semanário(?), mensário(?), periódico que se mostra como oficial de uma instituição como a UFPB. Em primeiro lugar vem um erro horrível de um simples feminino tentando se encaixar num masculino. Será heterofobia nossa não concordar com essa junção gramatical? Brincadeiras à parte, como o exemplo tem que vir de cima... Erros inocentes, como o que nos referimos, não deveriam acontecer numa escola que ensina como se escrever. Em segundo lugar, e não menos importante, vem a notícia que 'curso funciona sem laboratório'. Como é que pode? Uma revista institucional falar mal do próprio patrão? Ou alguem acredita que isso não é nada demais? Já mostramos, noutras postagens, anti-marketings promovidos pela mesma revista. Pelo jeito está faltando revista, de revistar mesmo, de se fazer uma revisão antes da publicação, para que sejam evitados erros primários como os que capturamos. Estamos de olho!!!

terça-feira, 10 de junho de 2014

EM PLENO DIA DA LÍNGUA PORTUGUESA...

Aos nossos amigos jornalistas, de todas os portais, de todas as tvs, de todas as rádios e mais do que for. Quem quer que deseje dar uma de Jornalista, tem por obrigação conhecer um mínimo da Língua Pátria. E em pleno dia de homenagem à nossa sofrida Língua Portuguesa (data da morte de Luís Vaz de Camões), capturamos essa aberração no paraiba.com.br. Aos nossos seguidores e admiradores pedimos que não cometam tal erro por pura falta de conhecimento do que é um Pronome Oblíquo e quando deve ser usado numa oração. 'Ele' é pronome do Caso Reto e não cabe como substituto do sujeito numa mesma oração. Coisas desse tipo nem precisam de regra. Devem estar no nosso inconsciente de forma automática. É tão automático que nem paramos para raciocinar a respeito. Coisa de quem se dedicou e fez um bom curso fundamental; base para toda vida. Mas quem se permite a ter figuras que assassinam a nossa Gramática, diariamente... Nossos meios de comunicação estão cada vez mais se nivelando pela nota mais baixa. Estamos de olho e tristes com erros primários como estes.