segunda-feira, 15 de abril de 2013

CASO FERNANDA HELEN: CARIDADE, JORNALISMO E DECEPÇÃO

Esperemos uma semana para ver até onde poderiam chegar os sanguessugas do plantão jornalístico da nossa capital. Vergonha para um senhor que alguns insistem em chamá-lo de jornalista, acompanhado do seu filho, visitar a casa de Fernanda Helen com uma câmera ligada com o único e exclusivo objetivo de repercutir sua simulada emoção. Vergonha para um governante que, de olho na emoção que se reverte em votos futuros, foi visitar a família abalada com a morte da filha e esse mesmo governante fazer questão de divulgar essa visita. Alguém visitou a família de Rebeca que foi estuprada e assassinada e que até hoje não sabemos quem foi o autor crime? É o aproveitamento da situação para angariar holofotes disfarçado de caridade para e para divulgar reduções nos índices de criminalidade imperceptíveis pela população. É o sensacionalismo em cima da desgraça alheia disfarçado de jornalismo. É o desespero em tentar manter acesa a chama da vingança contra o acusado por pessoas que se intitulam religiosos e tementes a Deus. Como ter Deus no coração e, paralelamente, instigar a vingança contra o acusado de matar Fernanda Helen quando ele estiver no presídio? Além de se influenciar os caminhos políticos do nosso estado com tendências nada disfarçadas, alguns que estão à frente das câmeras querem, também, decidir quem deve e quem não deve viver nos presídios. Se fosse com um irmão de algum deles, jamais teriam tal reação. Mas coisas como essas já são corriqueiras nos nossos meios de comunicação. O que não é corriqueiro é o respeito para com os menos favorecidos, a decência e a moral. Esses dois últimos se encontram em extinção. Poucos as praticam. Estamos de olho!!!

2 comentários:

Anônimo disse...

Esse daí(Samuka Duarte) todo mundo já sabe o que é, não preciso nem escrever aqui as palavras que descrevem essa boçal. A falta de respeito e o desprezo pela as vitimas das tragédias e seus familiares são gritantes no lixo de seu programa. Enquanto era mostrado exaustivamente o choro e da dor da família de Fernanda Helen, o animador de tragédias da tv correio não parava de repetir: é por isso que a gente tem audiência... A petulância e a arrogância desse sujeito são de dar nojo. Desprezível como ser humano. So faltou prometer uma igreja no lugar da tragédia. Como jurou uma vez e nunca cumpriu. Resumindo: a vulgaridade do que ele faz e diz o tornam intragável. E agora quer emplacar o filho...

vital pontes disse...

Esse mesmo cidadão foi o que "ESTIGOU" a população do Rangel a destruir a casa onde morava o tal MATA SETE,pena que tal "cidadão" não teve o mínimo de curiosidade de saber à quem pertencia a casa e o que seria do proprietário tendo seu imóvel destruido. Mas não me engano...no mesmo horário e no mesmo microfone surgiu um que se dizia ser o salvador de Bayeux e o povo de Bayeux viu de quem se tratava, tiraram-lhe a máscara de salvador e descobriram o DEMÔNIO travestido de jornalista. Alto preço pagaram.