quinta-feira, 7 de maio de 2015

SÍNDICO ASSASSINA CHEQUES?

O pobre jornalismo paraibano está tão impregnado de violência, que até um coitado de um síndico, em situação crítica, de vítima passa a acusado. É o que podemos constatar pela captura que fizemos no paraiba.com.br. Gastamos um bom tempo para arranjar uma piadinha daquelas características do gaiato desse blog, mas diante de tal descuido, ficamos sem inspiração. Que o nosso leitor se pronuncie. E pelo amor do Santíssimo, alguém diga lá no sistema gregoriano pra parar de cortar gastos, principalmente quando os cortes são nos bolsos dos empregados. Dá nisso que mostramos, acima. Estamos de olho!!!

5 comentários:

SANDRA SANTOS disse...

Os nossos veículos de comunicação na PB, são passaportes para o assassinato da gramática e da língua portuguesa todo santo dia. Outro dia, ao assistir o telejornal Jornal da Correio, a loira sem noção e que vai do nada a coisa alguma, achou de fazer um comentário sem nexo alguma com a matéria que havia acabado de chamar e tascou uma tremenda DICOTOMIA no ar. Como se os pobres mortais lá saibam o que é isso. Parece que esqueceu de vez o que aprendeu nos bancos escolares da UFPB...Se é que aprendeu! Em seguida o operador de caracteres lasca o resto do programa com as palavras CELIC (quando deveria ser SELIC, taxa do banco Central), e para completar a noite, fecha com chave de ouro nominando o delegado de polícia civil especializado em DEFRAUDAÇÕES (quando deveria ser defraldações), ou seja, meteu uma fralda geriátrica no policial sem dó e nem piedade! Ô PB Boooaaa... Estamos de olho também!

Anônimo disse...

Ué, tá estranhando o quê?

Um bando de empresários filhos-da-puta que só querem saber quem trabalha por menos, sem se importar com a qualidade ou a formação do cidadão, tem o quê como resultado?

É, meu amigo, infelizmente é assim. Contrata-se péssimos profissionais por indicação política ou por baixíssimos salários, enquanto os bons tão caindo fora do mercado local.

É insustentável.

Veja um exemplo claro: Na TV Arapuan, uma pessoa que não tem formação nenhuma vira editor e diretor de um programa, só porque o dono da TV não vai desembolsar nenhum real a mais por isso. Ao invés de contratar uma pessoa especializada para assumir a direção e edição de um programa, ele prefere achar que está dando "a chance de um aprendizado", quando na verdade está dando dupla função a uma pessoa, e ela recebe o mesmo salário de sempre, sem adicionais. É isso.

Anônimo disse...

Fazia tempo que não passava por aqui.
Bom demais saber que este blog ainda (r)existe!

Anônimo disse...

Ah, Sandra:
a palavra DEFRAUDAÇÕES está correta. Refere-se a "fraude" e não "fralda".
Estamos de olho em quem está de olho nos que estão de olho. :)

Anônimo disse...

E a audiência da Tv Arapuan, cresceu mesmo?