quarta-feira, 29 de maio de 2013

BANG BANG EM PRINCESA. CHAMA A SECOM

O faroeste que aconteceu no interior da Paraíba, mais especificamente em Princesa Isabel, serviu para boa parte da nossa imprensa entrar em apoio quase militar combatendo os meliantes. No mesmo dia e quase no mesmo momento em que o tiroteio acontecia, alguns colegas nossos correram para tentar minimizar o assunto como se estivessem vendo tudo. E hoje, quinta-feira, continuamos a ouvir alguns colegas tentando simplificar o "terrorismo" acontecido no sertão paraibano. É triste ouvir colegas como Petrônio Secom Tôrres na Arapuan FM, e Célio Secom Alves juntamente com Fernando Secom Caldeira na Tabajara Oficial FM usando de palavras amenas e até procurando desvirtuar o ato comparando à violência noutros estados como São Paulo. Exagero? Quase nada. Na 98 FM a providência foi arrastar a secretária de Comunicação do Estado, Estelizabel Bezerra, para divulgar o país das maravilhas em que vivemos: uma Paraíba na qual a violência é esporádica ou pontual. Uma Paraíba na qual o sentimento de segurança cresce a olhos nus. Essa é a contra informação propagada entre os patrocinados. Felizmente as imagens que foram divulgadas hoje, mostraram a realidade à qual o povo de Princesa Isabel foi submetida. A tropa de choque que trata de amenizar os problemas estaduais ficou de calças curtas com as imagens de uma cidade vivendo o terror. Pra ajudar nossos colegas desprevenidos, amanhecemos com mais um caso de caixa eletrônico estourado em Jacaraú. Mas tudo isso não reflete a realidade em que vivemos, já que há um declínio muito evidente dos percentuais da violência desde 2011 em relação ao ano anterior do ex-governador. Acho que já ouvimos esta frase algumas vezes. Mesmo 3 anos depois. E assim vamos tentando sobreviver com um jornalismo que se submete a tentar colher flores num terreno arenoso e desértico sem irrigação. Com um jornalismo que é acionado para ler releases em vez de levantar discussões e pedir respostas. Anotem: daqui pra semana que vem a escala de revezamento da Secom-PB vai entrar em campo e a tropa de choque estará acionada para ocupar todos os espaços possíveis na nossa sofrida mídia, a fim de explicar o quase inexplicável e também para falar de um futuro promissor de estradas, centro de convenção, orçamento midiaticamente democrático, socialismo, republicanismo, e outras coisas tais que ninguém consegue decifrar nem se atreve, mas acha bonito. O gaiato de plantão grita lá da copa: estamos evoluindo. A gente nem falou de Fabiano Vocabuláriofino Gomes e Samuel Boidoido Duarte hoje. Vamos poupá-los. Mas estamos de olho!!!

2 comentários:

Anônimo disse...

Foi impressionante ver o bajulador de estimação do Governo Tião babão Lucena fazendo de tudo para não culpar o patrão estatal. O babão que é da cidade que sofreu os ataques, escreveu sobre "tudo" que acontecia em Princesa, mas mesmo assim continuou a contrariar o óbvio. Responsabilizar o Governo do Estado. Ah, como eu sinto nojo desses vermes. Mas, desse lamentável episódio pudemos tirar algumas conclusões. A pior delas, é que o número de "jornalistas e radialistas" canalhas ligados a SECOM é surpreendente. E pra terminar, perguntar não ofende: existem pessoas honestas na imprensa pessoense?

Anônimo disse...

O mais interessante é que Ricardo Coutinho nem vergonha na cara para pedir desculpas e tomar providências para com a população tem.Agora quando é para anunciar obras kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk 40 ANOS EM 4 MESMO !!!!!!!!!!!