terça-feira, 21 de maio de 2013

MARKETING NEGATIVO EM REVISTA

Essa postagem nos foi enviada por um atento e desocupado seguidor do Bucho Furado. Em reunião, toda equipe deste humilde blog acredita que tenha sido um próprio aluno de um dos cursos de comunicação da UFPB, já que, entre colegas, sempre tem gente secando o trabalho dos outros. Como a dita Revista que se intitula 'UFPB em Revista' foi colocada como publicação oficial da entidade, ficamos com medo do que estão ensinando aos futuros comunicólogos que se formam periodicamente. Como é que uma revista OFICIAL publica tanta notícia negativa sobre seu próprio "patrão" (capturas abaixo). Toda assessoria que preza pelo bom nome e pelo marketing positivo do seu contratante jamais publicaria tantas notícias negativas como as que aparecem nesta Revista. Fomos pesquisar e descobrimos que o comandante da dita publicação foi o professor Derval do Curso de Mídias Digitais. Será que ele não notou o próprio tiro no pé com tanta notícia negativa? Essa Revista eletrônica tá mais pra UFPB Perdida que outra coisa. Aprenda como não defender seu chefe acessando a revista. Não vamos nem comentar sobre o gato no balcão. Boa impressão para uma estabelecimento federal. E  nós que já estávamos pensando em contratar alguns formandos da UFPB pra montar a 'Ascom Bucho Furado'. Ficamos com medo. O gaiato de plantão pra não perder a viagem, grita lá da copa: um dos desafios da UFPB é não ensinar errado. Pelo menos em comunicação. Estamos de olho!!!

5 comentários:

Anônimo disse...

Existe uma diferença entre assessoria e jornalismo. Por que uma revista sobre a UFPB não pode expor o que acontece, mesmo que seja ruim?

A revista vai contribuir muito mais para a universidade dessa forma, do que se só mostrasse o que é bom e escondesse o que é ruim.

Anônimo disse...

Quer dizer que para os senhores do blog, o bom jornalismo é aquele que "esconde" as mazelas para "defender"(putz!)o patrão?É o fim da picada!
O professor-editor da revista(que nem conheço)está correto, e o curso de comunicação não está ensinando errado.
O aluno(espera-se)tem que ter um olhar critico sobre aquilo que vai ser noticiado.
Vocês querem o que? Um jornalismo "bolo confeitado"?Tenha santa paciência!
Já não basta esta "imprensa toqueira"(salvo as raras exceções, de sempre)do nosso estado?
Onde se pratica um "jornalismo" tipo "balcão de secos e molhados"?
Parabéns para a revista que ainda não lí e já gostei.
Um sugesta para o blog:por que ao invés de publicarem tantas baboseiras, vocês não apuram este embate que está acontecendo entre o jornalista Luís(toldo, como voces dizem)Torres e o "cidadão Kane" tabajara?Isto sim é que é jornalismo!

Anônimo disse...

Com base na minha humilde experiência tanto em Assessoria de Imprensa como em redação, acho que há um equívoco das opiniões anteriores em relação ao trabalho realizado na UFPB. Para mim, a revista está errada, sim. Não se trata de esconder as informações, mas de dá uma abordagem positiva, divulgando como enfoque principal o que a universidade está fazendo para resolver tais problemas. Não sejamos tão ingênuos ou ajamos como tolos apenas para justificar o que estamos dizendo! Qual instituição vai contratar uma assessoria para “falar mal” dela? Sei que a UFPB não “contratou” a equipe que faz a revista, mas, a partir do momento em que ela é colocada como uma publicação oficial da UFPB, é preciso ter cuidado. Assessoria existe para zelar a imagem e não para destruí-la, que é o que a revista está fazendo. Cada função do jornalismo tem atribuições bem específicas: à imprensa cabe denunciar, mas à assessoria, zelar pela imagem. Caso contrário, será qualquer coisa e não assessoria. O mais é besteira de estudante, de profissional iniciante ou de profissional experiente que fez besteira e não quer assumir.

Anônimo disse...

Meu prezado não existe "jornalismo chapa branca" ou "jornalismo chapa vermelha", o que existe é jornalismo.Ponto.
A matéria de capa da revista é "Os desafios da instituição", o que voce queria?Um texto babativo cantando loas para a atual administração da universidade?
Só na taba tabajara!
Outra coisa, a revista é laboratório para os futuros jornalistas e você já vai domesticando os novos profissionais com conselhos do tipo;É melhor puxar o saco do patrão, se quiser se manter no empreguinho"
É muita subserviência!
Ademais a revista é pública(paga com o nosso pobre dinheirinho)não pertence aos dirigentes de plantão.
Portanto, que a verdade seja dita e que seja praticado o bom jornalismo(pelo menos alí).
No moderno jornalismo institucional, não existe mais espaço para "assessorias puxa-saco".

Anônimo disse...

Humildemente, continuo achando que há um equívoco. Se é para ser laboratório, então não pode ser colocada como revista oficial da UFPB. Entendo que para fazer um trabalho que represente bem a universidade é necessário que se tenha uma equipe de profissionais. Acho que estão misturando muito as coisas por aqui. Eu não tenho a intenção de defender nem acusar ninguém. Estou, apenas, tentando fazer uma discussão séria. Mas, parece que o pessoal não quer isso. O interessante é cada um defender o seu e não pensar, verdadeiramente, no tema em pauta. Continuo afirmando: assessoria existe para zelar a imagem de uma instituição. Mesmo abordando pontos positivos, o enfoque é outro diferente desse que está posto.