quinta-feira, 22 de agosto de 2013

O VALOR DE UM "TÁ"

Quem assistiu ao Correio Manhã, desta quinta-feira (22), apresentado pelo espaçoso Vitor Redondo Freitas, pode não ter notado, mas nós ficamos "com a pulga atrás da orelha" após um leve e rápido "TÁ" proferido pelo comunicador. Após reportagem, entre muitas, que expôs mais um caso de assalto em João Pessoa, Vitor começou a comentar sobre a falta de segurança em nosso estado com voz de cobrança, fazendo referências às autoridades responsáveis por nos proteger até que... fez uma leve e rápida interrupção em seu diálogo para decodificar a voz do ponto eletrônico em seu ouvido e... o telespectador viu e ouviu o "TÁ" que, levemente, fez o raciocínio do radialista ser concluído. Afinal, o que será que Vitor Redondo Freitas ouviu pelo ponto que o fez dizer um rápido e desconcentrador "TÁ"? Por que ele fez o desfecho da sua fala tão rápido logo após o "TÁ", em resposta a alguém que fica na produção e tem o poder de falar ao seu ouvido? Qual terá sido a frase capaz de ter apenas um "TÁ" como confirmação de entendimento? Estas são as nossas indagações que ficarão para a posteridade. O gaiato de plantão arrisca possíveis falas no ponto eletrônico que relatamos abaixo. Teria dito a voz do além:
- Manera aí gordinho. Quer ser demitido?
Ou talvez:
- Menos Vitor, menos. Conclui agora.
Ou quem sabe:
- Ei você pensa que ainda tá na Clube? Isso aqui é Correio. Sacou?
E ainda:
- Parou! Parou!
E parou mesmo. Em se tratando de Correio, Arapuan, Tambaú o medo de perder as assessorias ou as propagandas governamentais faz qualquer um parar com qualquer "TÁ". Já tem jornalista defendendo que posto de gasolina tem que contratar segurança, farmácia tem que contratar segurança, padaria tem que contratar segurança. Desse jeito todo motorista vai ter que contratar um segurança pra andar dentro do carro pra evitar algum assalto. Daí pra frente vem hospital, supermercado, ônibus, escola, bodega, fiteiro, todo mundo contratando segurança pra tirar as Secretarias de Segurança da reta. Ainda bem que ninguém sabe quem faz parte do Bucho Furado, senão teríamos que contratar segurança também. Ufa. Estamos de olho!!!

2 comentários:

Victor Freitas disse...

Kkkkk blz galera do bucho furado, pra mim é uma honra estrear no blog de vcs que eu sempre li e me perguntava porque nunca tinha saído numa postagem de vcs. mas confesso que a partir de agora ficarei bem mais "cabreiro" com a forma que eu conduzo o programa, pois minha responsabilidade e auto cobrança só aumentam por saber que vocês "estão de olho" no Correio Manhã. Eu não me lembro muito bem, mas salvo me engano, o tá que eu disse foi pq minha diretora Juliana Bandeira soprou no meu ouvido: "Quando terminar chama Dubu"; ou então foi: "Conclui porque estamoscomeçando a ficar sem tempo". Normalmente se ela nao disse isso mandou chamar o intervalo depois do comentário. E ainda teve uma outra frase que ela disse no ponto ontem que parece que foi: "Quando ter,inar tem o vivo de Campina Grande".
Um abraço a todos e "redondo" foi lasca! Kkkk to num regime danado pra ter um apelido desses significa que os 15kg que se foram não são nada em vista do que tenho a perder.

Victor Freitas

Anônimo disse...

Mil vezes o Victor Freitas pela manhã, confesso que agora consigo assistir o Correio Manhã. Prá ficar 100% só falta colocar uma mulher de verdade junto com ele no programa pois de mulher de tromba já basta aquela no programa do Nilvan. Pelamordideus TV Correio, por favor, acordem e joguem Maria Dubu prá noite com o Fabiano, "ela" só dá certo com ele.