sexta-feira, 26 de agosto de 2011

PRA MIM OU PRA EU? DÚVIDA E SOLUÇÃO

Depois de assistir ao vídeo abaixo, com dúvidas que atordoam nossos colegas de profissão e para não ficar apenas na brincadeira, resolvemos trazer a regra que ajusta o uso do “eu” e do “mim” no intuito de colaborar, não só com Welingon e Fabiano, mas com muitos outros amigos nossos que também ficam na incerteza do uso dos pronomes do caso reto e oblíquo. Claro que fizemos uma ediçãozinha só pra descontrair. Ficamos muito felizes com a citação do nosso blog por Fabiano. Sinal que além de se divertir, ele também procura se aprimorar e não tem vergonha de perguntar.
Quando, afinal, se usa mim?
Quando não houver verbo no infinitivo, imediatamente após o pronome, deverá ser usado mim. Veja:

Falaram sobre mim.
Ninguém estava contra mim.
Para mim, tudo é festa.
Após mim, ninguém se manifestou.
Chegue-se a mim. Pense em mim.
Entre mim e você há muita afinidade.
Entre você e mim há muitas barreiras.

E quando houver verbo no infinitivo?
Aí, há duas possibilidades:
1- o pronome é sujeito; usa-se, então, o pronome eu.
2- o pronome não é sujeito; aí, será usado o pronome mim.

Assim:
Para eu estudar, é necessário silêncio.
Sobre eu estar conversando, ninguém comentou a respeito.
Você é contra eu fazer a festa?
** Em todos esses casos, eu é sujeito.


Nos casos seguintes, você vai verificar que o pronome em questão não é sujeito.
Resolver esse problema é fácil para mim.
Pode ser que estudar seja complicado para mim.
Quero que você saiba que estar a seu lado é um privilégio para mim.

Quando deslocarmos o mim devemos colocar a vírgula logo após.
Para mim, resolver esse problema é fácil.
Pode ser que para mim, estudar seja complicado.
Quero que você saiba que para mim, estar a seu lado é um privilégio.

E o gaiato dono deste blog grita lá da copa: tire essas regras daí agora. Vocês querem dar nó na cabeça de quem? Tô com medo de dar um curto circuito na cabeça de alguns colegas. Mas como aqui a democracia impera... A postagem fica. Esperamos ter contribuído usando esta forma descontraída de abordar o tema para a melhoria do nosso linguajar no cotidiano de todos nós jornalistas, radialistas, comunicadores em geral. Estamos de olho!

10 comentários:

Breno Barros disse...

A edição do vídeo ficou um primor (pra mim!). Valeu, BF! =)

Anônimo disse...

kkkk, parabéns pela edição do vídeo!

Marcos Cunha disse...

boa a postagem. essa é o tipo de duvida comum mesmo pra os colegas mais gabaritados. parabéns BF e Saudades do amigo Breno Barros colega CA de comunicação e de papos de corredorna UFPB

Gisa Veiga disse...

Gostei da lição. Pra MIM, vocês são 10!

Anônimo disse...

Também dei uma editada no vídeo. Olha aí pessoal do Bucho:

http://www.youtube.com/watch?v=WDjyqWsv4gc

E se der, façam campanha pro Fabiano ir pro Top Five do CQC!! hahaha

Anônimo disse...

Praque você fizeram essa maldade??Os dois foram internados surtados com um perguntando ao outro:"pra eu,pra mim?Pra mim,pra eu?" Mas ja estão medicados,Pra MIM isso foi maldade de vcs.No minimo pra EU levar a culpa...

Anônimo disse...

Algumas vezes entrei nesse blog tão falado achando que iria encontrar algo novo. Mas o que vejo é que as pessoas gostam mesmo é de polemizar e não mover um dedo para firmar seus conceitos e mudar cenários. O que acho engraçado é que quase todos os que se dizem jornalistas capacitados acham a mesma coisa: o jornalismo apresentado na PB está péssimo. Mas me admira que alguns(ou um), se deram o trabalho de fazer um blog para ficar criticando de forma anônima o que acha errado, para brincar ironicamente apelidando alguns colegas de profissão e não para mudar realmente o fato. Assim fica muito fácil quando não se dá a cara para bater também. É medo de perder o lugar nas tais emissoras que não deixam a ética e a capacidade profissional em primeiro plano?? E será ética um blog anônimo que nada traz de novo e só faz com que os que concordam da precariedade rir da própria desgraça? Concordo que o jornalismo na PB está longe de ser o que precisa ser, mas discordo da forma que vocês resolveram fazer as coisas. Afinal, como esperam mudanças? Por que muitos dos que concordam não se unem para mudar alguma coisa e trazer, por exemplo, um site/blog desse gratuito com o nome de todos bons jornalistas afinados com a idéia de mudança, onde cada um tenha sua coluna para exercer o bom jornalismo e levá-lo ao povo? Quantos de vocês já se reuniram e levaram uma excelente proposta de programas que dariam o que falar e fariam a diferença a uma emissora de rádio, TV ou independente? Ficar só reclamando/ironizando/brincando não resolve a questão, façam valer seus conceitos de bom jornalismo e “façam a revolução”. Grandes mudanças em todas as partes do mundo só acontecem quando alguém levanta a bandeira de forma séria e não anônima.

Irisporto disse...

Mantenham o blog anônimo, pois fica bem mais interessante. Infelizmente, ainda não temos a cultura de atacar apenas as ideias e argumentos. Assinar o blog vai apenas possibilitar ataques (contra argumentos)ao autor (es?)e desviar a discussão do principal: a óbvia, ridícula e absurda falta de leitura dos nossos "jornalistas". Aproveito para sugerir ao blog que dê dicas e sugestões de boas leituras na área, como forma de "fazer a revolução". Continuem o bom trabalho que a mudança virá. Aos poucos, mas virá.

Eu... disse...

O engraçado comentou sobre o BF ser anônimo, mas não se identificou kkkkk "home", tá achando ruim? Te deita na BR.

Anônimo disse...

Eita!! Tão querendo que o BF seja o salvador da pátria paraibana. E quem disse que o BF é anônimo? Se fosse, o endereço seria www.anonimo.blogspot.com kkkkkkkkkk